Sunday, August 26, 2007

Second Life não é só um Game

A real utilidade do Second Life parece ainda não estar bem definida. A plataforma surgiu mais parecendo um jogo, o que ainda é para muitos. Ao longo da sua ainda curta existência, as pessoas passaram a utilizá-lo como uma rede social, onde encontram e fazem novos amigos. Mas, em seguida, as empresas e instituições passaram a criar seus espaços no mundo que sugere uma segunda vida, a vida virtual.

Nessa segunda vida, as pessoas criam um avatar, que pode ser parecido consigo mesmo ou criam um "boneco" totalmente novo para representar-se no mundo virtual. Não possuo dados estatísticos para afirmar qual das duas tendências é mais seguida. No entanto, trabalharia com a hipótese de que os usuários seguem a primeira linha, de representar-se, pois todos os conhecidos que encontrei por lá (4 pessoas :P) são muito parecidos com a figura real.

Mas afinal, qual é a real utilidade desse novo mundo?

Destaquei a questão das pessoas virtualizarem sua própria imagem através dessa plataforma, por julgar importante para as primeiras conclusões que tenho a respeito do Second Life. Vejo que seria errado dizer que é um jogo, pois no mínimo seria uma rede social, já que se pode interagir, formar amigos, fazer-se contatos profissionais e acadêmicos. Pode-se dizer que para alguns não passa de entretenimento, mas há quem leve a coisa a sério, tanto que gastam dinheiro para ter mais possibilidades, como construir espaços, adquirir produtos, oferecer serviços etc. Então, o uso que a pessoa dá ao Second Life será o que irá determinar qual é a sua real finalidade.

Nos meus primeiros passeios pelo mundo virtual apenas explorei de forma a satisfazer a minha curiosidade e aprender as funcionalidades do sistema. Mas, logo senti a necessidade de encontrar alguma finalidade produtiva no Second Life. Foi quando passei a procurar por universidades, centros de pesquisa e locais famosos que desejava conhecer. Encontrei dois lugares muito interessantes, onde pude comprovar que o uso dessa plataforma pode ser mais do que uma simples rede social ou mesmo jogo.

O primeiro local a que me refiro é a Universidade de Aveiro, de Portugal, onde se encontra diversas informações da instituição, como de congressos, das pesquisas desenvolvidas, links para outros centros de pesquisa, também no Second Life, e até mesmo uma oferta de emprego numa divulgação de um concurso que a Universidade está promovendo para a contratação de três professores. O meu objetivo na visita era encontrar avatares por lá que pudessem me fornecer informações sobre alguns cursos daquela instituição, mas infelizmente não havia ninguém, acredito que devido ao fuso horário. Voltarei para fazer contatos e obter informações em outra oportunidade. Mas, o que fica claro nesse exemplo é que o uso que dei ao Second Life foi acadêmico e não para um jogo ou simplesmente manter uma rede social.

A NASA possui uma ilha no Second Life, onde apresenta seus centros de pesquisa, brinda seus visitantes com um museu espacial e parece estar formando um centro de treinamento. No mundo tecnológico dos astronautas, o uso de simuladores é o que garante o treinamento para o sucesso das suas operações. Se isso for realmente realizado, todos poderão passar pelos treinamentos dos astronautas. Claro que isso não parece ter muita utilidade, pois no que me interessaria saber pilotar um ônibus espacial se nunca entrarei num. Mas, pode-se ver que é possível utilizar-se o sistema para treinamentos e aprendizado. O que dá outra utilidade ao Second Life.
Voltando para o passeio da Universidade de Aveiro, lembro de encontrar algumas salas de aula naquele local. Então, certamente eles estão se preparando, se é que já não o fazem, para disponibilizar aulas virtuais através da plataforma. Esse uso para o ensino não foi nenhuma novidade em minha visita. Pois a Gabriela já havia me falado muito do seu projeto experimental com a Alessa, que será uma palestra online [link needed] no Second Life que terá como tema a Comunicação nesse novo mundo. O que comprova que as pessoas parecem necessitar fugir do ócio e buscam para o Second Life um uso produtivo.

Vejo grandes possibilidades para o Second Life, tanto acadêmicas como profissionais, ou até mesmo para a manutenção de uma rede social que ao interagir pode dividir conhecimento de culturas e manter discussões sociais. Isso já era possível em outras plataformas, mas esse sistema parece tornar mais fácil a interação e sem dúvida é muito mais atrativo. É muito melhor conversar-se com outro avatar, que faz gestos, emite sons, do que se passar horas olhando para uma janela de chat. Assim como será muito mais atrativo se assistir uma palestra podendo ver as pessoas presentes e o próprio palestrante do que simplesmente ouvi-lo e vê-lo.

Não continuarei postando muito por aqui a respeito das minhas visitas ao Second Life, pois estou enviando os meus posts para a Gabi que mantém um blog para depoimento dos avatares. Pode-se visitá-lo clicando aqui e lá já tem duas postagens que fiz, com imagens, falando mais sobre esses dois locais acima mencionados.

2 comments:

Gabriela Zago said...

Eeeeee link needed :D hehe

Assim que a gente tiver as linhas gerais do evento mais ou menos definidas, faço um post e te repasso o link ;) :D

E viva o uso acadêmico do Second Life! \o/

Gilberto Balbela Consoni said...

Pois é Gabi, vocês têm que definir isso de uma vez para que eu possa completar a minha postagem :P

O uso acadêmico do Second Life é realmente um grande propósito para esse sistema e já estás fazendo isso.

Espero que mais pessoas façam o mesmo, para que essa plataforma se torne mais uma facilidade da Internet para o uso social.