Wednesday, October 18, 2006

Só aceito notícia que dá lucro

O compromisso de um veículo de comunicação é levar ao seu público informações de interesse coletivo. Porém, nem todos os veículos pensam da mesma maneira, já que insistem em vincular as “notícias” a serem publicadas com o comercial da empresa.

Nesta semana entrei em contato com a redação de um jornal para saber se uma notícia que havia sugerido havia sido publicada, já que na semana anterior estava de férias e não acompanhei tal jornal. No entanto, a repórter que me atendeu me informara que eu deveria entrar em contato com o departamento comercial que eles me explicariam o porque da informação não ter sido veiculada, ainda. Ela entendeu que aquela informação era notícia, mas que por uma nova norma interna tudo deveria passar pelo departamento comercial.

Enfim, fui transferido direto a tal departamento que me deixou o motivo mais claro. “Agora, só publicamos notícias de quem são nossos parceiros”, disse o gerente. Mas, quem são os parceiros de um jornal afinal. Os leitores ou os anunciantes? O caso é que, pelo o que tenho lido, os veículos de vanguarda, cada vez mais se voltam aos leitores, a fim de garantir sua rentabilidade e compromisso social. Aliás, esse é o grande motivo de um jornal existir. Ou seja, levar notícias de interesse coletivo e não individuais.

Esse problema já é de conhecimento da maioria, só manifesto essa situação para alertar aos “comerciais” dos veículos para tomarem como espelho alguns meios de comunicação, como os europeus, que trabalham voltados para os seus leitores e crescem consideravelmente. Isso contribui ainda para que o meio não fique atrelado a interesses que poderiam acabar até mesmo pautando suas redações. Voltados aos leitores, conseguem veicular notícias de forma mais isenta, de interesse coletivo e, ainda, faturar mais.

Imagino a situação dos profissionais jornalistas que trabalham em empresas nesses moldes, já que eles formaram-se, também, com essa idéia do compromisso com o leitor. Mas, que para garantir seu sustento são obrigados a submeter-se a tais explicações.

1 comments:

diniz júnior said...

Concordo com o Gilberto. Notícia vai ser notícia em qualquer lugar do mundo. E no caso citado, existe interesse público e ai por si o tema vira notícia. Gente, não podemos brigar aos socos e pontapés com a notícia, independente de rolar a tal grana do comercial. Até porque esse cliente vai anunciar no referido jornal, saindo ou nao a notícia. Abraços,

Diniz Júnior