Sunday, September 09, 2007

Zero Hora revela prejuízos no comércio causados pelo crime

Você já se sentiu desconfortável com o excesso de segurança em algum estabelecimento comercial? Já passou por uma constrangedora situação por culpa do alarme da loja que apitou pelo esquecimento de uma das empacotadoras de tirar a etiqueta de segurança ou ficou sem graça com algum segurança desconfiando de você? Certamente se não passou por situações parecidas provavelmente conhece alguém que já enfrentou situações desse tipo. Mas, até que ponto os proprietários das lojas estão errados em "exagerarem" na sua desconfiança de que alguém irá roubá-los a qualquer momento?

Isso me chamou a atenção depois de ler a primeira reportagem de uma série que está sendo veiculada a partir deste domingo (9) no jornal Zero Hora. A série é intitulada de "A ECONOMIA CORROÍDA PELO CRIME" e revela dados alarmantes a respeito dos prejuízos causados pelos assaltos e roubos nos estabelecimentos comerciais gaúchos. Traz histórias tristes de pessoas que perderam tudo o que haviam investido no sonho de um negócio próprio. Como foi o caso de um casal que havia montado uma loja de DVD em Porto Alegre. Depois de acumular suas economias por 10 anos, num único roubo toda a loja foi saqueada obrigando-os a suspender o sonho de trabalhar por conta própria. A reportagem traz ainda os recursos que são investidos em segurança pela rede de farmácias Panvel que poderiam estar sendo investidos em novos postos de trabalho. O crime nesses comércios só não prejudica esses investimentos como faz sumir empregos já existentes. Denuncia ainda todos os impostos que deixam de ser arrecadados pela falta de comercialização das mercadorias roubadas como dos empregos não gerados.

A série vai até quinta-feira e pretendo acompanhá-la para poder conhecer um pouco desse mal que assombra o comércio gaúcho. Com isso passo a repensar se os estabelecimentos estão errados em tratar todos como criminosos em potencial. Pois, se uma loja é assaltada ou roubada a cada 30min no Estado como eles poderiam agir diferente.

A questão é que, antes de exigirmos melhor tranqüilidade para freqüentarmos os comércios, será necessário exigirmos mais segurança das autoridades, para que não passemos por criminosos em potenciais ou coisa do tipo. Infelizmente, a média generaliza o tratamento que recebemos.

3 comments:

Gabriela Zago said...

Me convencesse a ir lá pegar a ZH para ler para depois vir aqui comentar... :P

O ruim não é quando esquecem de tirar a etiqueta e te abordam na saída da loja... o ruim é quando o alarme simplesmente toca quando se está entrando no estabelecimento :P hehe
Mas tudo bem, a loja não tem culpa em exagerar na segurança :)

Gabriela Zago said...

Supergramaticalmente correto...
"Me convencesse" hauhauhaua
(convenceste-me? o.0 tudo soa bizarro)

Gilberto Balbela Consoni said...

O correto é a segunda opção mesmo, mas quem sabe: Tu me convenceu... :p