Monday, December 03, 2007

Web 2.0 na sala de aula

A Web 2.0 pode ganhar espaço também no ensino. Hoje, lendo meus feeds encontrei num post uma publicação, com licença Creative Commons, que traz dicas para professores de como utilizar as possibilidades da segunda geração da Web com seus alunos.

O manual passa noções básicas de RSS, Folksnomia, Creative Commons, Tagging, Wikis, Blogs, etc. Chega a explicar rapidamente como escrever o código de um Feed. Depois, ele ensina como utilizar agregadores como o Bloglines e como pode ser usado no ensino. Traz também diversos exemplos e ilustrações para explicar o funcionamento das ferramentas da Web 2.0.

Como o próprio nome diz se tratá de um manual, portanto não espere encontrar conceitos aprofundados, mas certamente tem diversas dicas de como pode ser usado em sala de aula.

O professor que utilizar as ferramentas da Web 2.0 com seus alunos tem a possibilidade de estender do mundo presencial para o virtual as discussões de sala de aula e, ainda, contar com a colaboração de terceiros se desejar compartilhar com toda a rede. Vejo que o uso da Internet nas salas de aula é ainda pouco usado, mas que já há professores preocupados em buscar nas tecnologias de ponta alternativas para enriquecer o conteúdo de suas disciplinas e estimular a participação dos alunos na construção do conhecimento. Aliás, a grande sacada da Web 2.0 é a cooperação.

O manual do professor Quentin D’Souza parece ser uma boa leitura para aqueles que ainda acreditam que a Web 2.0 não passa de uma estratégia de marketing ou para os que nem a conhecem ainda.

A sua leitura vale como conhecimentos básicos!

*Web 2.0 Ideas for Educators, by Quentin D’Souza

3 comments:

Gabriela said...

Legal. Tem algumas dicas interessantes no manual. Dá para fazer aulas e atividades astante interessantes utilizando-se dos recursos da Web 2.0 :)

Gilberto Balbela Consoni said...

O manual é legal sim, mas ele é bem básico. Acho que num segundo volume poderia aprofundar um pouco mais os conceitos, para que os professores se interessassem mais pela Web 2.0.

Gabriela Zago said...

É verdade. O Manual precisa de uma versão 2.0 :P